domingo, 9 de março de 2008

Pra matar a saudade...Valeu Edmar Monte!

Sexta passada, dia 7, dei um jeito de participar da segunda etapa do Metropolitano. O que me motivou vou relembrar dos velhos tempos de xadrez no Náutico Atlético Clube!!! Lá me veio a tona grandes e boas recordações... Foi lá que joguei meus primeiros torneios oficiais, que eu ganhei o Campeonato Cearense de Jovens (kkkkk de jovens, é o novo!!), um Memorial Chico Alves e um vice Campeonato Cearense Absoluto em 96 (êita faz tempo mesmo). Que joguei minhas 16 partidas até formar o meu primeiro rating CBX. (Pois é, naquele tempo tinhamos que jogar 16 partidas oficiais pra ter direito a rating CBX hehehe). Tempos que não voltam mais...

O torneio foi realizado no mesmo salão que no século passado serviu de palco de grandes torneios nacionais (como a final do brasileiro de 89 com Gilberto Milos campeão e Sunie vice) , internacionais (como o Zonal) e estaduais. Lembrei de vários torneios como se tivessem sido realizados ano passado. Lembrei de alguns Zonais brasileiros que participei. Eram mais de 150 jogadores do CE,PI,MA e PE, de duelos eletrizantes de grandes jogadores como Jauber, Silvio Lucena, Roberto Andrade, Marcelo Cunha, Simplicio Maia, George Evandro, Arquimedes Memória, Gervázio, Nazareno, Walter Capiberibe, André Capiberibe, Luiz Ernesto, Paulo Cesar Barros, Valdir Uchua. Tempos inesquecíveis...

Naquela época a Federação (com sede no próprio Náutico) era presidida pelo Licinio Correa, na minha humilde e irrelevante opnião e com licença aos demais, o único presidente da FCX de verdade que conheci. Licínio faz falta!! Época de ouro do nosso xadrez... Naquele tempo não tinha essa de 5 rodadas de 16 minutos pra 60 jogadores não, eram 7 ou 9 rodadas de 1h para 23 lances, mais 1:30 e com direito a adiamento de partida. É mole?! Naquela época se jogava com a faca entre os dentes....

Valeu Edmar Monte, que mesmo com as imensas dificuldades que ainda não foram totalmente vencidas, deixou as portas do NAC entre-abertas para o xadrez. Cabe agora a nós jogadores ajudar a mantê-las abertas, como? Participando e incentivando outras pessoas a participarem. O primeiro teve a expressiva marca de 59 jogadores, o segundo teve apenas 60! Estou fazendo a minha parte, sou o 6Oo jogador hehehehe.

8 comentários:

  1. Oi Marcius... sabe que lhe tenho grande apreço, mas me senti ofendido quando disse "o único presidente da FCX de verdade que conheci". Posso pelo menos, em minha suposta insignificância saber pelo menos os motivos de os demais não serem ou não terem sido presidentes de verdade?

    ResponderExcluir
  2. hahahaha, sabia que você ia se icomodar!!! hehehehe. Foi de propósito!! Espero que tenha mexido com o ego dos outros também, talvez nós ex-presidentes possamos deixar nossas vaidades de lado, unir forças e ter-mos como uma meta retornar a FCX dos anos 80!
    Esquenta não (parabéns pegou ar), mas eu te avisei que eu ia capivarar e peruar neste blog kkkkkkk
    Mas que o Licinio foi o melhor presidente da FCX que já conheci, isto foi hehehehehe

    ResponderExcluir
  3. Agora você usou as palavras adequadas. "o melhor presidente da FCX que já conheci" é absolutamente diferente de "o único presidente da FCX de verdade que conheci". Estou certo de que os outros, muito embora em sua análise não tenham sido melhores, mas foram de verdade. Cada um deu sua parcela de contribuição. A propósito, ao invés de voltar aos anos 80, que tal cada um dar uma pequenina colaboração para que sejamos muito melhores que aqueles tempos? Sabe, eu tenho percebido ao longo desses anos a frente da Federação que nós temos muitos lobos em peles de cordeiro. Algumas pessoas estão muito mais preocupadas em ocupar o meu lugar do que mesmo fazer algo pelo xadrez cearense. É como conversávamos outro dia, na hora de reclamar, todo mundo tem algo a dizer, na hora de fazer, não se vê quase ninguém. É muito fácil fazer comparações, tentar fazer a coisa diferente, pensando no melhor ninguém quer. É como diz aquele texto enviado pelo amigo Irineu Paixão "Muitos se reuniram para criar, o que seria uma maravilha.
    Outros se uniram para manter, Alguns deram sugestões, Poucos produziram ações, Os resultados que todos esperavam não vieram à tona, Talvez alguém almejasse algo mais. Uns estavam satisfeitos, outros decepcionados. Vários discordaram, mas ninguém deu a solução. Aquilo não podia continuar assim, mas só uns se dispuseram a ajudar, assim mesmo, viram que aquilo não lhes dava a satisfação almejada. Nenhum assumiu a responsabilidade, exceto poucos que tentaram fazer por todos, mas afinal, nem mesmo esses fizeram tanto quanto alguém que fez mais do que podia. [E AGORA A PARTE QUE EU MAIS GOSTO]Certa vez houve quem dissesse que algo estava errado, mas não disse como era o certo. Foi bom enquanto durou. O lance não foi de mestre, foi fraco. Mas qualquer que fosse, tudo já estava perdido. O xeque-mate era inevitável!

    ResponderExcluir
  4. Melhor seria o ideal, mas se a gente conseguir fazer pelo menos um brasileiro (nem que fosse escolar :-/) já tava de bom tamanho pra este ano! Vamos pensar nisto!

    ResponderExcluir
  5. Caro Március,

    Eu me lembro bem do época do Licínio, era um cara muito empreendedor, muito organizado e fazia grandes eventos, além de ser apaixonado pelo xadrez. Vejo a atual direção com características similares (empreendedorismo e organização) e uma diferença, interiorização. A atual direção me parece focar mais em divulgação e fomento do xadrez por meio de muitos pequenos eventos enquanto à época do Licínio havia grandes torneios.

    Se bem que é relativo chamar de pequenos eventos torneios com mais de uma centana de participantes e baixas premiações.

    Creio que são dois grandes dirigentes, na época do Licínio eu tinha algumas críticas a ele mais por conta da minha imaturidade do que propriamente por erros.

    Acho que não leva a nada rebaixar outros dirigentes, magoa e não constrói, e não chega a ser uma crítica construtiva por muitos deles serem ex-dirigentes, portanto não dá para mudar o passado.

    Abraços,
    Ernesto

    ResponderExcluir
  6. Oi Ernesto, você tem toda a razão. hehehehe, como falei, foi uma capivarada. Acho que a primeira do blog! Não quis rebaixar ninguém, todos foram de suma importância para manter vivo o nosso xadrez! Se hoje ainda existe xadrez no nosso estado foi graças a estes abnegados!

    Só queria dizer que na minha IRRELEVANTE opinião o Licínio foi o melhor (esta é a palavra certa :D) que conheci. Só isto e apenas isto. Assim como tem pessoas que gostaram e outras que detestaram eu como presidente e mesmo assim respeito a opinião de todos. Faz parte!

    Valeu! continue participando assim no blog, seus comentários são de muito bom senso!

    ResponderExcluir
  7. Caros colegas,

    como alguém que já jogou muito no passado os torneios oficiais(década de 90) e que está participando dos diversos torneios desde o final do ano passado (tentando entrar em forma), creio posso dar minha também humilde opinião: "o xadrez cearense hoje está muito mais democrático". No passado eram poucos campeonatos oficiais (lembro somente do Zonal Nordeste, Capablanca, Chico Alves e dos torneios da finada AABB e do BNB, além da Seletiva e do Campeonato Cearense) com inscrições relativamente caras e com participação predominante de enxadristas de Fortaleza. Hoje temos excelentes jogadores ("pingueiros" é bem verdade) de todas as regiões do Estado. Só tenho sentido falta de campeonatos grandes de xadrez pensado, mas como disse estou de volta a pouco tempo e posso estar com uma impressão errada.
    De qualquer forma, só tenho elogios aos gestores atuais da Federação Cearense de Xadrez.
    Abraços,
    Hugo Buarque

    ResponderExcluir
  8. Oi Hugo, compartilhamos da mesma impressão. O xadrez dessa década se democratizou e a década de noventa, logo após a saída de Licínio, foi ao ver regredindo a cada ano até chegar o ponto que você falou em que só tínhamos dois torneios por ano (O Zonal e o Cearense, não vou contar com o Capablanca por ser um torneio fechado para poucos e nem o Chico Alves porque tinha ANO que tinha e ANOS que não) e só um Clube (O BNB).

    O que mais me incomodava naquela época era a justificativa de vários presidentes da FCX : "SÓ ESTOU ASSUMINDO A FEDERAÇÃO PORQUE NINGUÉM QUER!", disto muitos se lembram. Dai é que veio o meu desabafo de o "verdadeiro presidente" que conheci naquela época, pois Licínio era e queria ser presidente, além de ser um grande enxadrísta.

    Também tenho sentido falta de MAIS campeonatos grandes de xadrez pensando, mas a federação já vem articulando para que tenhamos mais torneios pensados com premiações de pelo menos R$1.500. Só resta a nós jogadores o tornarem grandes participando.

    Um abraço!

    PS: Desculpe pelo "Campelo" (Mate o homem mas não troque o nome :D ) que é o nome de outro enxadrísta e me confundi na hora.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...