domingo, 13 de abril de 2008

O passado e o presente - De volta Sessé

Hoje recebi um e-mail do professor Francisco Ari Maia Junior, que reproduzo em sua totalidade logo abaixo (não tirei nem coloquei uma só virgula), tratando da volta aos torneios do ex-presidente da Federação Cearense de Xadrez, Sebastião Alcântara. O professor Ari, em tom muito saudoso, dá as boas vindas ao Sessé, como é chamado pelos íntimos e faz uma comparação do xadrez de outrora e do praticado hoje, bem como da forma administrativa da Federação. Particularmente, não conheço o senhor Sebastião, mas espero ter a oportunidade de conhecê-lo em breve. Pegando carona nas palavras do professor Ari, BOAS VINDAS, caro Sebastião, e que sua experiência possa contribuir para o xadrez dos novos tempos. A seguir o e-mail do professor Ari Maia:

SESSÉ DE VOLTA AO REINO DE CAISSA

Na última sexta-feira, foi realizado no Náutico Atlético Cearense mais um torneio válido pelo Circuito Metropolitano de Xadrez. Resultados à parte, o que chamou a atenção foi a presença de um jovem senhor em meio a tantos outros enxadristas que corriqueiramente vemos nos eventos dessa natureza. Trata-se de Sebastião Alcântara, ex-presidente da Federação Cearense de Xadrez. É com imenso prazer que recebemos de volta ao ninho esse experimentado dirigente. O xadrez da sua época, porém, está muito mudado. Naquele período, decada de 80, o nosso esporte se concentrava na capital cearense e se praticava, via de regra, o xadrez "pensado".

A arbitragem não dispunha de computadores, nem os organizadores dispunham de internet para divulgar seus eventos (toda divulgação era feita por meio de folders artesanais e enviadas por correio). Nessa época, nossa entidade tinha uma sede, mas é bom lembrar, também, que os clubes pagavam meio salário mínimo por mês à entidade( o que representaria hoje, cerca de R$ 2500,00 mensais), e esse valor garantia o pagamento de despesas operacionais e de um funcionário administrativo.

Hoje, o xadrez está disseminado pelo interior e tentando se reconstruir na capital do ponto de vista organizacional. Temos apenas três clubes (Lance 23, AEEC e GEBP) filiados na capital, o que se configura numa situação esquisita, pois aí,ainda, temos a maior quantidade de enxadristas. O xadrez está cada vez mais rápido. Começamos com torneios de 30 minutos, baixamos pra 21 e agora se pratica, com freqüência o de 16. É, meu caro Sebastião, o pessoal anda numa preguiça mental de dar nó! A maioria quer decidir tudo em um único turno de um final de semana! É verdade que ficou mais fácil arbitrar e organizar torneios, com o advento da informática nos eventos de xadrez. Afinal essa história de fazer folder, colocar no correio e confeccionar cartazes é cada vez mais rara. A FCX vai hoje aonde o presidente e sua diretoria vai, pois não temos sede, nem patrimônio sólido (salvo estou enganado, temos pastas, documentos e o xadrez gigante, e só!).

Tudo bem: nem tudo são flores, mas também nem tudo é espinho no xadrez atual, mas a disposição da galera pra jogar xadrez, essa não mudou. Então, meu caro SESSÉ, seja novamente bem vindo ao xadrez do presente e nós todos o convidamos para fazer parte do futuro.

5 comentários:

  1. naum sei se alguem sentiu o mesmo mais pra mim esta bem gritante q o sr. fco ari maia jr usou o querido sesse para alfinetar o fernando lessa a intencao deste email naum foi da as boas vindas ao sesse e sim mais uma vez tentar derrubar o trabalho do fernando acho q o sr ari deveria era ser imparcial quando organiza torneios,visto q no ultimo torneio no nautico manipulou os desenpates,segundo o folder do evento o primeiro era o median buxous e o segundo buxous,ai pro seu amigo nasareno ser campeaum ele colocou numero de vitorias e escore progesivos,pobre do yung q pagou o pato.o aloisio lopes poderia confirmar isso pra gente ja q o netebook q foi usado era dele.seria bom aprovarem este meu scrap isso mostra a honra d fernando em divulgar o email do sr fco ari,e q o blog eh democratico

    ResponderExcluir
  2. Seje Sesse bem vindo e que o Xadrez não Sesse!

    heuehueheuheue...

    E as acusações acima do anônimo são sérias, que pena que é apenas um ANÔNIMO. =/

    Acusações anônimas do tipo não deveriam ser permitidas. Está desgostoso? Quer ser ouvido? Então identifique-se!

    -_-?

    ResponderExcluir
  3. Não acho que houve algum tipo de provocação.

    Prof. Ari Maia e Fernando são aliados, e o xadrez cearense precisa muito deles.

    Os arquivos do torneio não ficaram no meu notebook, acabei de verificar.

    Quanto à manipulação do resultado: esqueça!

    Se houve alguma mudança nos critérios, esta não foi feita de propósito.

    Você, com certeza, não conhece o trabalho do prof. Ari Maia. Ou pelo menos tem ciúmes.

    Se não está satisfeito com algo, identifique-se e dê sugestões rapaz.

    ResponderExcluir
  4. Concordo com Aloísio. O prof. Ari é uma pessoa justa. Não teria nenhuma intensão de prejudicar o trabalho do Fernando ou de qualquer outra pessoa, até porque ele mesmo jura de pé junto que não quer nem vai ser candidato a presidencia da FCX novamente. Então pra que tudo isso? Penso que Ari só fez uma comparação simples e crua do xadrez de hoje com o de 20 anos atrás. E o xadrez hoje é dinâmico mesmo, basta ver a cadência da própria FIDE comparada com a de 20 anos atrás!

    ResponderExcluir
  5. Francisco Ari Maia Junior17 de abril de 2008 14:18

    DIREITO DE RESPOSTA

    Prezado Sr. ANÔNIMO

    Pelo que vejo nas suas palavras, acho que você não tem mais de duas décadas de militância enxadrística, nem mais de uma centena de eventos organizados e arbitrados, nem deve ter contribuído de qualquer forma para a organização enxadrística cearense. Algo me diz que você não foi sequer dirigente da FCX, nem sequer duas vezes presidente da entidade. Não deve ter fundado nenhuma Associação ou clube, nem deve ter ensinado centenas de jovens a jogar xadrez. Também acho que não participaste de nenhum encontro enxadrístico nacional ou internacional, tipo: Panamericano de Xadrez, Fenac, Congresso CBX, ou coisas assim. Percebo também que não tem formação acadêmica, pela forma que assassina o vérnáculo pátrio.

    De qualquer forma, amigo, tenho tudo isso e mais um pouco, sem falsa modéstia.

    Mas, se um dia, você quiser agir como homem e se identificar, posso lhe fazer o relato da minha trajetória no xadrez cearense.
    Aí você poderia entender, caso a ignorância lhe permita, como suas palavras foram deselegantes e infelizes. Fidel Castro disse em Sierra Maestra: "a História me absolverá". Digo-lhe, agora, em relação ao xadrez: "a história me absolveu".

    Agora, uma coisa estás certo: o arquivo tinha uma configuração divergente do folder, mas não foi traçada no último torneio, pra ajudar ao meu queridíssmo amigo Nazareno Xavier", mas vinha com esse erro, desde a primeira etapa do Circuito, por engano meu. Agora, espero que você não pense que eu tenha a capacidade mediúnica de achar que planejei prejudicar o Iung desde o primeiro torneio, achando que um dia os critérios de desempate lhe seriam desfavoráveis. Acima de tudo, sou uma pessoa honesta e nunca ninguém pode dizer que agi dessa ou daquela forma pra ajudar ou prejudicar nas minhas arbitragens.

    Ademais, tenho uma relação muito aberta com o Fernando e todas as vezes que discordo de alguma medida tomada por ele ou por sua diretoria, faço com muita serenidade e recebo respostas igualmente serenas.

    Acho que vou ter que ficar dizendo que não sou candidato à presidência FCX até o dia da eleição, mas não tenho culpa por isso, afinal, liderança é algo que lhe acompanha ou não. Já está na hora de você e outros arranjarem outro nome pra FCX ou o próprio Fernando, num eventual terceiro mandato.

    Agora pro Igor: Muitas vezes, querido ex-aluno, a neutralidade é pior do que a tomada de posição em contrário.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...