segunda-feira, 19 de maio de 2008

Graças a "padim ciço", dos males o menor.

Há tempos que venho conversando com os árbitros a respeito dos critérios de desempates, e até agora venho tendo sucesso em minhas argumentações e todos que me escutam me dão razão. Como não quero fazer aqui uma apostila sobre o assunto, na medida que as coisas forem acontecendo eu vou dando a minha opinião e assim discutindo cada tópico em particular.

Desta vez o assunto é Berger versus Buchholz. Na semi-final do campeonato cearense deste ano em Juazeiro realizado no último final de semana, não houve “injustiça” quanto as duas vagas para a final. A primeira vaga ficou com Iung (alguém tem algo a contestar? :-D) e a segunda com Fernando Almeida que venceu na maioria dos critérios de desempates frente a Leone, ou seja, seu adversários teoricamente foram melhores no torneio. Entretanto, já não posso dizer o mesmo com relação a Jerluce e ao João Alexandre que, segundo meu ponto de vista, foram brutalmente penalizados simplesmente por terem jogado com os jogadores mais fortes.

O Berger é um critério que foi criado matematicamente para o sistema Shuring (todos contra todos) assim como o Buchholz foi criado para o Suíço. A utilização do Buchholz no shuring (ainda bem que o swiss perfect não deixa, pois tenho certeza que teria árbitros fazendo isto hehehehe) é indiferente, pois a soma dos pontos dos adversários será sempre o mesmo pra todos. Entretanto a reciproca não é verdadeira, pois no suíço não necessariamente os jogadores jogam com os mesmos adversários. Portanto, só assim por alto, podemos concluír que em qualquer ordem de critério de desempates que se utilize, o Buchholz deve SEMPRE VIR ANTES do Berger para torneios no sistema suiço.

Coincidentemente, conversei exatamente sobre o assunto com o Árbitro Moésio durante o Memorial Acioly Borges. Imagine que você tem 4 pontos e vai jogar a última rodada de um torneio de 5 rodadas e perde (obviamente você perdeu pro campeão e este fez 5 pontos). Se for utilizado o Buchholz muito provavelmente você será o vice-campeão do torneio. Nada mais justo! Mas se o critério for o Berger (que não tem nada haver com o sistema suíço), ai a história pode ser bem diferente :-( . Porque vai haver um outro jogador, com 3 pontos (e obviamente jogando com um jogador de pontuação semelhante ou até mesmo com 2 pontos) que vai ganhar a partida e igualar em pontos com você. Na hora de somar os pontos para o desempate, NÃO será computado pra você os 5 pontos por ter jogado com o campeão, mas será computado os 3 pontos para o outro jogador. Ou seja, a diferença é brutal. E isto ocorre porque o Berger foi matematicamente criado para desempatar jogadores a partir da performance deles em relação A UM MESMO CONJUNTO DE ADVERSÁRIOS (como por exemplo, poderia ser utilizado no Campeonato Brasileiro A e B de futebol), como este principio não existe no suiço...

E o que a Jerluce e o João Alexandre tem haver com isto? Tem haver que os adversários de ambos (não interessa quais) foram muito superiores. Enquanto os adversários da Jerluce ,que ficou em nono, somaram 15 pontos, e os do João Alexandre somaram 14, os adversários do sexto colocado somaram apenas 13,5. E com isso os dois deixaram de receber 50 e 30 reais a mais ,respectivamente, de premiação! Ainda bem que "padim ciço" não deixou isto acontecer com a segunda vaga pra final!

PS: Então por que o programa swiss perfect e outros aceitam incluir o Berger no sistema Suiço? Simplemeste porque se o empate persistir depois de usar todos os critérios adequados ao torneio, qualquer coisa é melhor que o sorteio! :-P (ver post anterior)

3 comentários:

  1. Berger eh pra Xuring! Mas o pessoal tirando o número de vitórias da frente do Progressivo eu jah fico muito feliz.

    ResponderExcluir
  2. Perfeito Marcius Brandão!!!

    Nota 10 !

    Eu já sofri com critérios "inventados": perdi um campeonato cearense por equipes em 2007.

    O sistema de disputa foi o suíço por equipes, e o primeiro critério adotado foi, por incrível que pareça, "CONFRONTO DIRETO"! Nem no swiss perfect existe isso.

    Imagine aí ter que desempatar um torneio de tamanha importância manualmente, com 3 equipes empatadas em 3,5 pontos!?!?!?!

    Tenho absoluta certeza que os primeiros critérios a serem adotados deveriam ser: bucholz, nº de pontos totais e berger (não necessariamente nesta ordem), mas "confronto direto", jamais.

    Minha equipe ganhava em todos os outros critérios.

    Mas eu não tive o direito de entrar com nenhum recurso, pois os critérios adotados estavam no folder do evento, joguei o torneio com esta consciência.

    Creio que para resolvermos este tipo de problema temos que reagir.

    Aproveito aqui para agradecer ao Nazareno Xavier pela aula que ele deu no Náutico.

    A partir daqueles "gritos" (diga-se de passagem, necessários) as "coisas melhoraram".

    Infelizmente, ninguém de Juazeiro estava presente e mais uma vez, critérios errados foram adotados.

    Aproveito para parabenizar aos amigos Jerluce e Alexandre que pegaram pedreira!

    Aloisio Lopes

    ResponderExcluir
  3. Perfeito Marcius Brandão!!!

    Nota 10 !

    Eu já sofri com critérios "inventados": perdi um campeonato cearense por equipes em 2007.

    O sistema de disputa foi o suíço por equipes, e o primeiro critério adotado foi, por incrível que pareça, "CONFRONTO DIRETO"! Nem no swiss perfect existe isso.

    Imagine aí ter que desempatar um torneio de tamanha importância manualmente, com 3 equipes empatadas em 3,5 pontos!?!?!?!

    Tenho absoluta certeza que os primeiros critérios a serem adotados deveriam ser: bucholz, nº de pontos totais e berger (não necessariamente nesta ordem), mas "confronto direto", jamais.

    Minha equipe ganhava em todos os outros critérios.

    Mas eu não tive o direito de entrar com nenhum recurso, pois os critérios adotados estavam no folder do evento, joguei o torneio com esta consciência.

    Creio que para resolvermos este tipo de problema temos que reagir.

    Aproveito aqui para agradecer ao Nazareno Xavier pela aula que ele deu no Náutico.

    A partir daqueles "gritos" (diga-se de passagem, necessários) as "coisas melhoraram".

    Infelizmente, ninguém de Juazeiro estava presente e mais uma vez, critérios errados foram adotados.

    Aproveito para parabenizar aos amigos Jerluce e Alexandre que pegaram pedreira!

    Aloisio Lopes

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...